Sua imagem pessoal como um de seus cartões de visita

imagem pessoal banner pequeno

Segundo o antropólogo Ray Birdwhistell, mais de 65% da comunicação é feita de maneira não verbal. Então quer dizer que a maior e primeira apresentação que poderemos fazer de nós mesmos será por meio de linguagem corporal? Sim, segundo especialistas. Talvez nunca tenhamos parado para pensar que, frequentemente, deixamos escapar, por gestos e posições, coisas muito particulares do nosso subconsciente; estas que, muitas das vezes, nem nos demos conta ainda, ou então que tentamos esconder a qualquer custo numa interação – nervosismo, euforia, mentira, discordância, revelia.

Entretanto, é necessário aliar as evidências que o corpo manda com a conversa em curso, pois um aperto de mão mais fragilizado, sem intensidade, por exemplo, pode indicar tanto uma pessoa repleta de passividade quanto alguém de muita delicadeza no tratar para com o próximo. Análises desta natureza por pessoas de recrutamento e seleção de empresas tendem a ser mais comuns para os próximos anos, já que numa contratação para ambientes corporativos é muito importante a percepção e as primeiras impressões geradas pelo candidato a sua frente, para que desta forma, equívocos na contratação possam ser evitados.

Siga agora algumas dicas para melhorar sua apresentação pessoal, tanto ao falar quanto no modo de se portar:

  • O gesto deve ser um complemento discreto para ilustrar certa ideia, por isso, gesticular em excesso não tornará o interlocutor mais atento ao que você está dizendo;
  • No meio de uma interação, roer unhas, morder os lábios, torcer as mãos ou gesticular incessantemente, segurar o rosto ou o queixo, mexer no cabelo, colocar as mãos na cabeça ou nos bolsos pode não ser uma boa escolha, mesmo que inconscientemente – estes sinais são considerados indicadores de desinteresse;
  • Tapar a boca, tocar ou coçar o nariz, esfregar os olhos, pegar na orelha, coçar o pescoço, afrouxar o colarinho e passar o dedo nos lábios indicam, segundo estudiosos, sinais ligados à falsidade do discurso, portanto muito cuidado.

Tomando como base outras problemáticas que os estudiosos apontam – como a reflexão antes de falar, o julgamento sobre a possibilidade do que é dito soar ofensivo, obom vocabulário, a perspicácia de perceber o momento para falar, “a palavra certa” para cada hora exata e principalmente o instante ideal de se calar, bem como o omitir do discurso em momento oportuno – fazem do objeto cartão de visita um instrumento ideal na construção da primeira impressão. Ele pode falar muito sobre sua pessoa em ambientes empresariais, e caso apresente um design personalizado então, trará à tona elementos notáveis de sua personalidade sem que você precise discorrer a respeito deles ou esperar que seu ouvinte note.

Ao entregar o seu em alguma empresa ou numa entrevista, por exemplo, o faça sorrindo. Demonstrar bom humor e satisfação faz com que o clima mude instantaneamente. Se possível também, o aperto de mãos que se segue deve ser firme, mas não entusiasmado em demasia. Aproxime a elegância do seu cartão ao seu garbo e cuidados pessoais de cabelos, mãos, pele, dentição – estas são coisas podem passar despercebidas quando não saem do comum, porém sempre ficam em evidência quando se tornam, pela superioridade, bons parâmetros.

A postura, em conjunto com os outros elementos que compõem sua imagem, é de uma importância que realmente salta aos olhos. Por este motivo, sobre medidas práticas para melhoras posturais, segue então alguns itens simples e fáceis de assimilar:

  • Mantenha sua cabeça levantada com o queixo paralelo ao chão;
  • Levante o tórax sem forçar os ombros, estes devem ficar naturalmente relaxados;
  • Levante também levemente os quadris, projetando-os um pouco para frente, evitando assim descansar o corpo sobre as pernas;
  • Devemos deixar os braços relaxados e caídos ao lado do corpo com os cotovelos esticados e as mãos em perfil. Ao andar, os braços devem se mover como pêndulos, tocando o corpo. O ideal é que somente os braços se mexam a partir da junta dos ombros – estes não se movimentam;
  • Ao andar, não cruze as pernas na movimentação. Os joelhos devem dar os passos flexionando e esticando elas. Não deixá-los flexionados no final dos passos te dará uma impressão mais ereta e serena ao caminhar;
  • Os pés devem pisar no chão por inteiro, a ponta e o calcanhar, um ao lado do outro e retos.

Experimente entregar seu cartão de visita (personalizado à sua maneira) seguindo todas estas sugestões e verá de que maneira um objeto aparentemente simplório se tornará o melhor aliado que você poderia ter na sua apresentação e constituição de excelente primeira impressão – cartões de visita serão interessantes caso você também seja!

Eaí, o que achou do texto? Deixe seu comentário aqui no blog ou pelas nossas redes sociais: Twitter, Facebook e Google+

 

Sua imagem pessoal como um de seus cartões de visita
Avalie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *