Escritório de Advocacia: Dicas para ter uma boa Gestão

Para quem resolveu fazer parte de um escritório de advocacia ou ter o próprio escritório, o começo, assim como a manutenção do negócio, pode parecer um desafio. Algumas dicas são fundamentais para garantir uma boa gestão, assim como o crescimento do seu empreendimento – afinal, você é advogado e também pode ser empreendedor.

Dicas de como gerir um escritório de advocacia

Dicas de gestão para um escritório de advocacia

Rentabilidade e faturamento

Muita gente ainda não sabe a diferença, mas resolve abrir seu próprio escritório. Então vale muito simplificar isso e tornar acessíveis esses conceitos. Para fazer com que seu negócio dê certo, você deve investir nele, não? E, a cada mês, você lucra um pouco com isso, ainda que o valor de lucro não seja muita coisa, logo de cara.

A rentabilidade é o que, por ano, cada real investido no negócio gera de lucro – mas não é calculada a partir do faturamento líquido, e sim com base no seu patrimônio líquido. Diferenciar esses conceitos podem ajudar a ser não apenas um advogado, mas também um bom administrador – o que te diferencia (e muito!) no mercado. Assim, você consegue ter uma noção melhor do sucesso do seu escritório e do que pode melhorar.

Seu escritório é um negócio

Sua atividade é regulamentada pela OAB e há, é claro, diferenças entre ter um escritório de advocacia e ter, por exemplo, uma loja de bairro ou uma franquia. Ainda assim, enxergue seu escritório, sua sociedade de advogados, como um negócio: com contas a pagar, nicho de mercado, impostos, materiais gráficos específicos para advogados, a necessidade de planejamento e de uma estratégia.

Para pensar nisso, lembre-se da concorrência, do tanto de escritórios que estão disponíveis por aí. Saber a que nível o seu escritório deve chegar e ter planos para isso, além de se preocupar com certa frequência em ter um parecer sobre o nicho em que está. Você não tem apenas conhecimento jurídico a oferecer, mas sim toda a postura de um empreendedor que conhece o seu negócio e sabe como torná-lo atraente.

A imagem do seu negócio conta

Quando um empreendedor pensa na própria “imagem” no mercado, as variáveis que a determinam vão além do usual e abarcam desde a divulgação dos serviços até o atendimento oferecido ao cliente. Lembre-se de que a imagem passada através de material gráfico pode ser um contato promissor estabelecido com quem já é cliente ou o futuro cliente. Tenha sempre uma preocupação com a estética de cartões de visita e papéis timbrados, por exemplo – e especial cuidado para que eles estejam sempre atualizados.

Um exemplo clássico de cuidado a ser tomado está na renovação do material gráfico, sempre necessária. A atualização do número de telefone, por exemplo, ainda que signifique apenas a adição do número 9 à frente do restante do número, não pode ser deixada de lado. Rabiscar, de maneira improvisada, o número a mais no canto do cartão, com uma caneta, passa a imagem de descuido que você deve evitar – e essa imagem é imediatamente percebida pelo cliente.

Seja você um advogado especializado, seja você parte de uma advocacia “de massa”, o perfil do cliente deve ser respeitado no atendimento – e a atenção dada a ele, ainda que maior ou menor, também. A peça feita não é o único fator que faz um cliente recorrer ao seu escritório, e o atendimento pode ser fator determinante, ainda que o resultado de um processo tenha sido favorável ao seu cliente, por exemplo. Leve em conta os fatores que determinam a imagem do seu escritório de advocacia, para garantir que, além de atrair o cliente pelo serviço em si, você também consiga atraí-lo pela imagem da empresa e qualidade do atendimento.

Divida tarefas

Ok, na hora de ter um escritório pequeno, às vezes a política do “todos fazem um pouco de tudo” tende a prevalecer. Ainda assim, para que isso não barre o crescimento do escritório, é necessário que cada um tenha funções bem delimitadas – afinal, o aumento de demanda, de serviços para serem prestados, pode exigir que vocês se organizem melhor para dar conta de tudo, e evitem que duas pessoas façam a mesma coisa, não?

Você formou seu escritório de advocacia com aquela turma da cerveja, da faculdade? Está aí mais um desafio, então. Separe a vida pessoal da profissional e garanta que as atividades sejam divididas e as metas atingidas, ainda que isso exija pulso mais firme. Vocês se conhecem, são amigos, têm boas lembranças da faculdade… Mas isso não pode ser empecilho pra avançar no negócio de vocês e garantir espaço no mercado.

Estimule aprimoramento e melhorias

Você contratou alguns profissionais para fazer parte de uma sociedade de advogados, já os selecionou por simpatizar com suas experiências no mercado e histórico acadêmico… E pra manter esse funcionário?

Parta do princípio de que grandes talentos podem querer ir embora caso não se sintam estimulados. A geração Y, de hoje, tem um ânimo a mais e a dinamicidade de quem nasceu conectado às redes sociais – por isso, torne o dia a dia desafiador e estimule o aperfeiçoamento profissional do seu funcionário. Sugira cursos, formação a mais, palestras – e lembre-se de que a remuneração, mesmo que baseada em um salário fixo e com eventuais valores a mais por casos resolvidos e peças feitas, deve acompanhar o crescimento desse profissional. Motivação é a palavra, tanto pra você, quanto para ele!

Escritório de Advocacia: Dicas para ter uma boa Gestão
Avalie

3 Comments

on “Escritório de Advocacia: Dicas para ter uma boa Gestão
3 Comments on “Escritório de Advocacia: Dicas para ter uma boa Gestão
  1. Parabéns pela matéria publicada.
    Muito interessante a resposta ao Sr. Mário Martins e que serve para vários advogados que trabalham sozinhos.

  2. Bom dia.
    Gostei muito do post e pergunto: com mais de 20 anos de profissão, trabalhando sozinho, como posso e o que devo fazer para transformar meu escritório em um negócio de sucesso?

    • Olá Mário!
      Uma dica importante é se apropriar dos meios digitais, caso ainda não o faça. Um bom website, com informações sobre suas especialidades e casos já solucionados mostrando suas competências seria um começo. O segundo passo seria a abordagem desses temas em redes sociais, onde você pode trabalhar o marketing de conteúdo, separando uma seção do seu site para disponibilizar conteúdo relevante para seu púbico-alvo, como artigos, comentários sobre casos com repercussão midiática, notícias relevantes sobre o mercado e replicar isso nas redes.

      E não podemos nos esquecer é claro dos meios tradicionais de divulgação, realize networking em eventos da categoria (online procure grupos do LinkedIn e foruns de discussões pertinentes), mantenha seus cartões de visita sempre atualizados e apresentáveis, e boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *