Muitos concorrentes – e agora?

blog_concorrentes_e_agora MENOR

Sabe aquele ramo em que todo mundo diz que tem muito concorrente por aí? Se foi esse que você escolheu pra seguir, a gente tem algumas dicas pra que você não sofra e vença a concorrência. É só ter um pouco de jeito na hora de analisar o que fazer em cada situação – e a gente tem dicas pra você!

1)    Reconheça seu concorrente

Reconhecer o concorrente pode ser mais simples do que você imagina. Há concorrentes diretos e indiretos, dependendo do produto ou serviço vendido e do público-alvo. Se uma empresa vende o mesmo produto que você, direcionado ao mesmo público, dá pra encarar com um concorrente mais próximo do que em caso de uma pessoa que venda algo semelhante, para o mesmo público.

Complicado? A gente te explica. Se você vende chinelos para pessoas na Zona Sul de São Paulo e uma outra pessoa, de outra microempresa, também o faz, ele é seu concorrente direto – ainda mais se você notar algumas semelhanças no produto que ele vende e no seu, além do fato de ambos serem chinelos. Já o cara que vende sapatilhas, vende um produto que pode substituir os chinelos, vem ou outra, mas não é algo usado na mesma situação do seu produto. Ainda assim, este último exemplo pode contar como concorrente indireto. Tendo esses tipos de concorrência já identificados, fica mais fácil se dar bem!

2)    Quer conhecer bem o concorrente? Seja cliente dele.

Ou nem tanto assim. Você precisa se esforçar pra conhecer seu cliente, e chegar a comprar um produto ou a examinar o que o torna bom. Não quer fazer isso? Fique de olho e procure analisar friamente o produto do concorrente – mesmo que você queira ser parcial, logo de cara, por questão de orgulho. Se necessário, chame alguém próximo, que possa falar algo e contribuir para essa análise – assim ela pode ser mais imparcial.

Passe a analisar a comunicação, a embalagem, o produto em si e o quão bem os clientes recebem os produtos. Trace um comparativo, sem receio de que ache um problema no seu produto e não no dele­ – isso vai te ajudar a melhorar, e a melhorar o quanto antes.

 3)    Organize todos os aspectos possíveis

Leve em consideração alguns aspectos determinados para saber o que melhorar. Você pode até fazer uma tabela, um quadro comparativo, e buscar as diferenças e o que pode ser bom ou ruim para você ou para o concorrente.

Por exemplo, se você faz bolos e vende, pode estabelecer alguns aspectos-chave de comparação: marca dos ingredientes usados, tempo para entrega do bolo, lugares de venda, decoração do bolo, etc. A partir daí, analise os pontos que favorecem você e os que favorecem seu(s) concorrente(s). Assim, você tem um parecer melhor sobre o que pode melhorar.

Gostou das dicas? Mande seu comentário por aqui, pelo Facebook ou pelo Twitter! 😉

Muitos concorrentes – e agora?
Avalie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *